Evento do Novembro Negro em Prado formalizou adesão do município ao Fórum de Gestores de Igualdade Racial e autorizou repasse de recursos para geração de renda em comunidades indígenas

Uma grande diversidade de lideranças e representações do extremo sul da Bahia esteve reunida neste sábado (27), no município de Prado, em encontro alusivo ao Novembro Negro. O evento foi marcado pela adesão da prefeitura ao Fórum de Gestores Municipais de Políticas de Promoção da Igualdade Racial e formalização de parcerias do Edital da Década Afrodescendente, lançado pela Sepromi. Também foi anunciada a entrega de casa de farinha móvel adquirida através de captação de recursos. As ações vão beneficiar comunidades indígenas da região e somam cerca de R$ 240 mil em investimentos.

Os projetos resultantes do edital visam promover a inclusão produtiva das famílias indígenas das comunidades de Kaí e Águas Belas, por meio da agricultura familiar, na modalidade de assessoria técnica e distribuição de insumos. “Este projeto concretiza políticas públicas importantes para nossas comunidades indígenas, historicamente estiveram esquecidas. Acredito que a parceria de hoje vai trazer melhoria da qualidade de vida para nosso povo”, destacou Paulo Pires, liderança da comunidade Pataxó Águas Belas.

Jocélia dos Santos, presidente da Associação Indígena Comunitária da Aldeia Tibá, também em Prado, disse a casa de farinha móvel anunciada para a comunidade possibilitará o aquecimento da cadeia produtiva da mandioca. “Este equipamento será de suma importância para todas as comunidades indígenas do entorno e fortalecerá a agricultura familiar no município. Com isso, vamos aumentar nossa produção e aumentar nossa renda”, ressaltou.

Durante o evento, ao autorizar o repasse de recursos para as comunidades indígenas, a titular da Sepromi, Fabya Reis, pontuou que as ações ampliam a implementação de políticas afirmativas para a população negra, povos e comunidades tradicionais. “Trata-se da aplicação de um volume expressivo de recursos para gerar renda e inclusão produtiva em aldeias indígenas, esforço que é integrado à atuação da gestão municipal. As iniciativas têm como foco o enfrentamento aos impactos econômicos que tanto prejudicaram a população negra e segmentos tradicionais nesta pandemia”, disse.

Cooperação e políticas públicas – Ao assinar a adesão ao Fórum de Gestores da Igualdade Racial, o prefeito de Prado, Gilvan Santos, destacou que o município concentrará esforços e parcerias com a Sepromi para intensificar políticas voltadas à promoção dos povos e comunidades tradicionais e a atenção à população pobre e vulnerabilizada no município.

Também participaram do evento o presidente da Câmara de Vereadores, Odilei Matos, juntamente com outros parlamentares locais; a titular da Superintendência de Prevenção à Violência (SPREV) da SSP, major Denice Santiago; secretários municipais Lenilson Felipe (Agricultura), Neuziane Mascarenhas (Saúde), Léa Ferreira (Finanças), Ricardo Oliveira (Assuntos Indígenas), Iracema Lourenço (Cultura e Turismo); dentre outras representações do poder público e sociedade civil, incluindo comunidades de terreiros e assentamentos de reforma agrária.